Dia a Dia do Paciente / Covid-19

Publicado em 02/09/2020

Revisado em 04/09/2020

Em casa, sim. Parado, não!

Em casa, sim. Parado, não! 2 - exercícios físicos em casa

 

O isolamento social, consequência dessa pandemia proporcionada pela covid-19, tem feito as pessoas repensarem seu estilo de vida. Manter a mente e o corpo saudáveis é a preocupação de muita gente nesse momento.

Mas como permanecer ativo praticando exercícios físicos com segurança sem sair de casa?

Fazer exercícios físicos regularmente fortalece o nosso sistema imunológico e nos protege dos organismos invasores, como o coronavírus, por exemplo.

Foi pensando nesse fator protetor que desde os primeiros dias do isolamento/quarentena me preocupei com os pacientes oncológicos que, por conta do tratamento (especialmente a quimioterapia), têm uma grande tendência a baixa de imunidade. 

Quando você se exercita ao menos 30/40 minutos por dia, entre 4 e 5 dias por semana, acontece no seu metabolismo uma resposta imune. O aumento da frequência cardíaca e as contrações musculares provocadas pelo exercício promovem um deslocamento das “células imunes”, fazendo com que elas circulem pelo corpo à busca de ‘invasores’.

Engana-se quem pensa que ficar em casa é motivo para ficar sem fazer exercícios! As aulas online têm ajudado a manter pacientes oncológicos ativos, evitando a perda de massa muscular, garantindo a funcionalidade e controlando os níveis de ansiedade, insônia e depressão. 

Um paciente inativo pode perder 1% de massa muscular ao dia, ficando, por exemplo, sentado ou deitado vendo televisão. Uma dieta orientada aliada a exercícios com sobrecarga pode prevenir a sarcopenia, que é um processo progressivo de redução de massa, força e desempenho muscular e que pode comprometer muito a qualidade de vida dos pacientes com câncer.

É possível praticar exercícios físicos em casa com pouco espaço e nenhum equipamento profissional. Sempre com orientação de um educador físico qualificado.

Em casa, sim. Parado, não! - exercícios físicos em casa

Cada um na sua casa aproveitando o seu espaço e improvisando com criatividade. Cadeira, sofá e degraus se transformam em aparelhos de musculação. Garrafas e frascos viram halteres. Pronto!

Os resultados têm sido excelentes!

 

Luciana Castelli Assmann – Educadora física especialista em pacientes oncológicos