Dia a Dia do Paciente / Covid-19

Caio Henrique Vianna Baptista

Publicado em 24/05/2021

Revisado em 24/05/2021

Como manter a saúde mental durante a pandemia

Como manter a saúde mental durante a pandemia

 

Sabemos que a pandemia é uma realidade difícil que nos foi imposta desde o ano passado. Passamos por diversas situações que nos exigiram resiliência, força e novas ferramentas para que conseguíssemos lidar com essa realidade. No entanto, vale destacar que o tempo passou e, no momento, nos encontramos em um cenário ainda mais delicado do que aquele que nos foi mostrado no primeiro trimestre de 2020.

A passagem do tempo, a virada do ano e a vinda das vacinas nos deram um “ar de esperança” de que a doença acabaria e a vida voltaria ao normal. Mas, com o aumento dos casos, o medo, o estresse, os sintomas de ansiedade e de depressão se tornaram cada vez mais presentes e mais comuns. Diante disso, vemos que novas formas de enfrentamento vêm se fazendo cada vez mais necessárias.

As estratégias que utilizamos em um primeiro momento, hoje podem não ser mais tão eficazes… Vale avaliar novas formas de pensar a saúde mental durante a pandemia. Algumas dicas podem ser muito valiosas:

  • Filtrar o fluxo de informações sobre a Covid-19 é de suma importância. Procure saber informações verídicas e que tragam um contraponto como, por exemplo, as notícias que mostrem a realidade dos casos e dos sintomas da doença, mas também aquelas que trazem esperança (vacinas novas, formas de proteção e casos de cura, por exemplo), além de, claramente, ver outros programas de televisão, filmes e séries. Intercalar as informações recebidas é um ato de proteção e regulação da saúde emocional.
  • Procure conversar, por meio de telefonemas e vídeo chamadas, com pessoas com quem faz tempo que não fala. Ampliar o círculo social e de amizades é importante, pois além de promover a saúde mental, vínculos afetivos antigos podem ser resgatados e cultivados.
  • Cuide da sua alimentação. A alimentação auxilia muito na promoção da saúde mental; comer bem ajuda a amenizar sintomas de ansiedade e depressão.
  • Pratique uma atividade física. Atualmente é possível acessar sequências de exercícios por meio de vídeos na internet; fazer caminhadas em ruas e horários menos movimentados também pode ajudar muito. Estudos comprovam a eficácia de exercícios físicos no combate à ansiedade e depressão.

 

Cuidados aos pacientes oncológicos

No caso de pacientes oncológicos e seus cuidadores, essas dicas podem ser de grande valia se aprovadas pelos seus oncologistas. Contudo, pacientes oncológicos em tratamento podem desenvolver sintomas de estresse, ansiedade e depressão em proporções diferenciadas, pois muitos podem estar com a imunidade comprometida. 

Nessa situação, a procura por uma psicoterapia com profissional de Psicologia habilitado pode ser a solução de muitos desses problemas. 

Atualmente existem grupos de psicólogos que oferecem atendimento ao público em geral, bem como Psico-Oncologistas (psicólogos especializados em Psicologia Oncológica e Onco-Hematológica) que, por sua vez, estão implicados com os desafios da pandemia e com as questões próprias dos tratamentos oncológicos.

A saúde mental é tão importante quanto a saúde física, porque além de promover o bem-estar psicoemocional, colabora ativamente no entendimento e na promoção de comportamentos que favorecem a adesão aos tratamentos oncológicos propostos.

Por fim, algumas outras terapias têm demonstrado bons resultados, como a musicoterapia, a terapia ocupacional, o mindfullness e a meditação. Elas também podem ser boas opções quando em conjunto com a psicoterapia.

 

Caio Henrique Vianna Baptista
Psicólogo
Mestre em Ciências pela Faculdade de Medicina da USP (FMUSP)
Especialista em Psicologia Hospitalar pelo Hospital das Clínicas da FMUSP
Presidente da Estadual SP da Sociedade Brasileira de Psico-Oncologia