Dia a Dia do Paciente / Efeitos Colaterais

Publicado em 03/09/2013

Revisado em 11/06/2019

Anemia

Quando o número de glóbulos vermelhos diminui muito, os tecidos não recebem oxigênio suficiente para exercer suas funções. Os glóbulos vermelhos são produzidos na medula óssea, em obediência ao comando de um hormônio liberado pelos rins, a eritropoietina. A evolução do câncer e o tratamento podem causar anemia através de vários mecanismos:

  • Ação tóxica da quimioterapia sobre as células da medula óssea;
  • Ação tóxica da radioterapia dirigida a áreas ósseas extensas (bacia, tórax, abdômen etc.);
  • Quando as células malignas invadem a medula óssea;
  • Subnutrição que leva às deficiências de vitamina B12, ferro ou ácido fólico;
  • Sangramentos;
  • A própria resposta inflamatória decorrente de ação imunológica dirigida às células tumorais pode interferir com a produção dos glóbulos vermelhos.

A partir de determinados níveis, a queda do número de glóbulos vermelhos provoca:

  • Cansaço extremo, fadiga e fraqueza muscular;
  • Taquicardia e falta de ar aos esforços;
  • Palidez, tonturas, sensação de desmaio e dificuldade de concentração;
  • Dor de cabeça e sensação de “cabeça oca”;
  • Dificuldade para aquecer o corpo;
  • Insônia.

A suspeita do diagnóstico é feita pela evidência de palidez da pele e das mucosas, mas para confirmá-lo é necessário realizar um exame de sangue (hemograma). Quando os sintomas justificam, a anemia pode ser tratada com transfusões de glóbulos vermelhos ou com a administração do hormônio eritropoietina.

Se a causa for deficiência de vitamina B12, ferro ou ácido fólico, está indicada a reposição desses micronutrientes.