Dia a Dia do Paciente / Efeitos Colaterais

Juliana Conte

Publicado em 15/08/2016

Revisado em 16/08/2016

Tempo frio exige cuidado dos pacientes oncológicos

Com a temperatura batendo na casa dos 10°C em algumas cidades do país, quem é paciente oncológico deve ter cuidado redobrado. Nestes períodos a circulação de vírus que causam infecções respiratórias (gripes e resfriados) fica facilitada porque há mais concentraçnao de pessoas em lugares fechados, e como o sistema imunológico do paciente fica enfraquecido por conta da doença e do tratamento, é importante se prevenir.
Veja também: Quimioterapia – principais medos e dúvidas
Segundo informações de Rodrigo Canto Nery, oncologista do Centro de Oncologia do Hospital Santa Lúcia, de Brasília, alguns tipos de quimioterapias têm o efeito colateral de reduzir o número de glóbulos brancos (células de defesa do organismo), o que aumenta o risco de infecções em geral. “O melhor cuidado é lavar as mãos sempre que chegar de ambientes populosos, como transporte público. Também deve-se evitar contato com pessoas sabidamente doentes, sobretudo aquelas com febre. Ter um álcool em gel na bolsa pode ser um caminho”, diz.
Por conta da circulação de vírus respiratórios é comum haver aumento no número de internações e intercorrências, além de mais casos de rinite alérgica, bronquite asmática e enfisema pulmonar. “Existe uma tendência dos oncologistas recomendarem a vacinação do influenza para evitar infecções respiratórias graves, mas isso ainda não é consenso e, portanto, deve ser discutido caso a caso.”
Além disso, alguns tipos de quimioterápicos aumentam a sensibilidade ao frio, exigindo também cuidado especial do paciente durante o inverno, quando as crises se intensificam. Ainda segundo Nery, isso ocorre porque tais medicamentos podem causar pequenas modificações nas fibras nervosas, o que os médicos chamam de neuropatia. “É particularmente comum a neuropatia sensitiva leve, que provoca formigamento ou pequenos choques nas mãos e pés. Alguns pacientes relatam, por exemplo, que na hora de pegar objetos frios na geladeira ou caminhar no chão sentem esses choques. Normalmente, a maioria melhora completamente após o fim do tratamento”.
Adotar alguns cuidados simples pode ajudar a passar melhor por esse período, como agasalhar-se bem, usar luvas e meias para manter as mãos e pés aquecidos, usar toucas ou gorros de lã (principalmente se a quimioterapia provocou queda de cabelo), não esquecer de passar protetor solar (mesmo que não haja sol), pois a pele fica sensível, e ampliar o consumo de bebidas quentes. Esse último é fácil, quem vai negar um belo chocolate quente?