noticias-estomago / noticias-estomago

Juliana Conte

Publicado em 07/03/2016

Revisado em 07/03/2017

Alimentação é fundamental para prevenção do câncer de estômago

A incidência de tumores gástricos em países como Japão, China e nas Coreias é bastante elevada. Saquê, fumo, alimentos defumados e extremamente salgados, além de pré-disposição genética colaboram. Por conta disso, a detecção precoce, com endoscopias e radiografias, é feita em massa, mesmo em indivíduos que não apresentam sintomas.

Assista: Dr. marcelo Cruz fala sobre fatores de risco para câncer de estômago

No caso do Brasil, não há esse tipo de rastreamento. Dessa maneira, como é possível detectar um tipo de câncer que, se não diagnosticado em estágio inicial, às vezes tem prognóstico ruim?

Segundo a oncologista Mirielle Nogueira, é preciso ficar muito atento aos sintomas. Cânceres gástricos são mais comuns em homens (ainda não se sabe o motivo) com mais de 50 anos e costumam se manifestar por meio da perda de peso sem causa específica, vômito com sangue, dor de estômago frequente, má digestão e dor abdominal.

“Além disso, se o paciente tem histórico familiar, é importante investigar fazendo endoscopias e sempre procurando orientação de um gastro. Não ignorar pequenos incômodos também é fundamental, porque na fase inicial muitos tumores se apresentam de forma inespecífica, e às vezes a pessoa pensa que é somente uma dor de estômago, um refluxo ou uma úlcera, e não investigando”.

Atente também para os alimentos que você costuma ingerir, porque a alimentação tem papel fundamental na prevenção dos tumores gástricos. Indivíduos com dietas ricas em alimentos defumados, carne e vegetais em conserva ou embutidos têm risco aumentado de câncer de estômago. Nitratos e nitritos são substâncias comumente encontradas em carnes curadas, que podem ser convertidas por certas bactérias (como a H. Pylori) em compostos que causam câncer de estômago. Por outro lado, há indícios de que comer frutas e verduras frescas ajuda a diminuir o risco da doença.