noticias-mama / noticias-mama

Tainah Medeiros

Publicado em 01/05/2014

Revisado em 21/06/2019

“Muitas mulheres queriam fazer mastectomia dupla por causa da Jolie”, diz médico

mama

image-1225

Em 2013, Angelina Jolie revelou que passou por uma mastectomia dupla de forma preventiva. Portadora de uma mutação genética no gene BRCA1 (responsável por produzir proteínas que previnem o crescimento descontrolado de células e, assim, protegem contra tumores) que está diretamente associadas a risco elevado de desenvolver câncer de mama e de ovário, a atriz tinha aproximadamente 70% de risco de desenvolver a neoplasia mamária.

Na época, a revelação causou um enorme frisson. “Durante três meses, muitas mulheres foram até meu consultório com dúvidas a respeito da cirurgia e, até mesmo, querendo ser submetidas ao procedimento”, lembra Dr. Alfredo Barros, mastologista do Hospital Sírio-Libanês. [relacionados]

Entretanto, a mastectomia dupla não é indicada para qualquer pessoa e é preciso ter cautela na hora de optar por esse procedimento, pois podem vir algumas insatisfações, principalmente estéticas. “Com o passar do tempo, as pessoas foram se informando mais a respeito da cirurgia, o burburinho foi acalmando e elas começaram a entender que não se trata de algo tão simples”.

O lado positivo é que uma figura como Angelina Jolie traz visibilidade para assuntos que muitas vezes não recebem a atenção midiática que merecem. “Por meio dessa notícia, algumas mulheres que não sabiam da existência da mastectomia dupla e, muito menos, da análise genética, vieram nos procurar e descobriram que eram portadoras de mutações genéticas”, afirma Barros.