Tipos de câncer / Câncer de estômago



Câncer de estômago | Fatores de risco

São muitos os fatores que contribuem para o desenvolvimento deste tipo de carcinoma, entre eles:

Fatores de risco que levam ao aparecimento do câncer de estômago.

Fatores de risco que levam ao aparecimento do câncer de estômago.

  • Dieta

Os alimentos mais comuns no desenvolvimento do câncer de estômago são os mal armazenados ou preservados segundo técnicas antigas, principalmente os salgados, os defumados e os embutidos. A refrigeração para preservação mais adequada dos alimentos, bem como maior consumo de vegetais e frutas frescas, parece reduzir a incidência. [relacionados]

  • Infecção por Helicobacter pylori

O Helicobacter pylori (H. pylori) é uma bactéria anteriormente correlacionada somente com as gastrites e úlceras gastroduodenais. Estudos mais recentes, entretanto, sugerem que ela é capaz de causar alterações pré-malignas na mucosa do estômago, que podem aumentar o risco de câncer. É importante deixar claro que a presença de H. pylori no estômago não quer dizer que a pessoa desenvolverá câncer gástrico. Em realidade, o aumento no risco de desenvolver câncer gástrico é muito pequeno.

  • Pólipos no estômago

São bem mais raros do que no intestino grosso. Entre eles, os pólipos adenomatosos representam maior risco.

  • Fumo

O risco de câncer de estômago em grandes fumantes é duas ou mais vezes maior do que nos não fumantes.

  • Gastrite atrófica e anemia perniciosa

A gastrite atrófica, rara, leva a um maior risco de câncer de estômago.

  • História familiar e raça

Existe um tipo de câncer gástrico muito mais raro, que aparece com mais frequência em jovens de famílias com diversos casos dessa doença. Considera-se o câncer gástrico familiar quando o tumor for do tipo indiferenciado (mucocelular ou células em anel de sinete) e houver pelo menos dois casos do mesmo tipo de câncer em consanguíneos diretos, sendo um deles jovem, com menos de 40 anos.

Pessoas de origem asiática correm mais risco de desenvolver câncer de estômago. Quando emigram para o Ocidente, no entanto, ocorre diminuição progressiva da incidência nas gerações subsequentes, fenômeno explicável especialmente pela adoção de outros hábitos alimentares