Tipos de câncer / Câncer do colo uterino



Câncer de colo do útero | Prevenção

EXAME DE PAPANICOLAOU E DETECÇÃO DE HPV

O exame ginecológico preventivo mais utilizado é o Papanicolaou (já descrito anteriormente em “Diagnóstico”). Atualmente, entretanto, outros exames mais sofisticados permitem identificar a presença do HPV e de outros agentes associados a doenças sexualmente transmissíveis. A coleta do material é semelhante à do Papanicolaou.

Em algumas ocasiões, o exame poderá ser complementado com a colposcopia, que possibilita melhor visualização dos tecidos da vagina e do colo. O rastreamento do câncer do colo uterino deve ser indicado nas seguintes situações:

•            Mulheres devem fazer o exame do Papanicolaou três anos após a primeira relação sexual e anualmente a partir de então;

•            Mulheres que não tiveram relação sexual até os 18 anos devem fazer o exame do Papanicolaou aos 21 anos. Desse momento em diante, o exame do Papanicolaou deve ser feito anualmente;

•            Mulheres com idade a partir dos 30 anos, com três exames normais de Papanicolaou, podem repeti-lo a cada dois ou três anos, desde que não mudem de parceiro sexual;

•            Mulheres com idade a partir dos 70 anos, sem fatores de risco e com três exames normais de Papanicolaou podem interromper a periodicidade do exame;

•            Mulheres que se submeteram à retirada completa do útero por causas benignas podem optar por não fazer o exame de Papanicolaou.

Existem diversos procedimentos para eliminar lesões pré-malignas do colo antes que se tornem invasoras: cauterização com bisturi elétrico, com laser, com nitrogênio líquido ou através da retirada com bisturi. A estratégia preventiva mais importante, no entanto, para prevenção da transmissão do HPV e de outras doenças sexualmente transmissíveis é a diminuição do número de parceiros sexuais, acompanhada do uso adequado de preservativos.

VACINA CONTRA HPV

Atualmente existem duas preparações disponíveis no mercado: Gardasil® e Cervarix®. A limitação dessas vacinas é que elas não previnem todas as infecções pelo HPV, assim como nem todos os cânceres do colo uterino são associados à infecção por esses vírus.

O ideal é que as meninas sejam vacinadas antes do início da vida sexual. O benefício da vacinação em mulheres acima de 25 anos é mais questionável. A vacinação é feita através de três injeções distribuídas num período de seis meses. Os efeitos colaterais são limitados a um pouco de dor no local da aplicação da injeção.

Embora as vacinas protejam contra o câncer do colo uterino por impedir a infecção por certos tipos de HPV, a proteção não é de 100%. Por isso, o exame do Papanicolaou é recomendável mesmo em mulheres vacinadas.