Tipos de câncer / Linfomas



Linfomas | Fatores de risco

Algumas condições aumentam a probabilidade de uma pessoa desenvolver um tipo de linfoma. A idade é um fator comum entre ambos, entretanto com uma diferença: um ocorre em pessoas mais velhas e o outro pode atingir os mais jovens. Veja, abaixo, outros fatores que podem influenciar no aparecimento da doença:

LINFOMAS NÃO HODGKIN

Idade

  • Pessoas mais velhas correm risco maior.

Depressão imunológica

  • Pacientes que receberam transplantes de órgãos, tratados com medicamentos imunossupressores para evitar rejeição do transplante ou que nasceram com o sistema imune debilitado apresentam maior incidência de linfomas.

[relacionados]

Infecções específicas:

  •  Infecção pelo HIV, o vírus da AIDS;
  •  Infecção pelo vírus de Epstein-Barr, que na África tem clara associação com o linfoma de Burkitt (linfoma agressivo);
  •  Infecção pelo Helicobacter pylori, bactéria que infecta o estômago e está associada aos linfomas gástricos;
  •  Infecção pelo vírus HTLV-1, que resulta em aumento do risco de desenvolver linfoma e leucemia.

Vale ressaltar que a vasta maioria das pessoas infectadas por esses agentes nunca desenvolve linfoma, apenas corre risco mais alto.

LINFOMA DE HODGKIN

Idade

  • A idade também é um fator de risco nesse tipo de linfomas, entretanto, ele ocorre com maior frequência na faixa dos 15 aos 35 anos de idade e acima dos 55 anos.

Depressão imunológica

  • À semelhança do que ocorre com os linfomas não Hodgkin, pessoas com o sistema imunológico enfraquecido pelo uso de medicamentos para evitar a rejeição de transplante de um órgão ou que apresentam deficiências imunológicas congênitas ou adquiridas correm risco maior.

Infecção pelo vírus do Epstein-Barr ou pelo HIV

  • As pessoas infectadas por esses vírus apresentam risco mais alto do que as não infectadas. Entretanto, a vasta maioria das pessoas infectadas não desenvolve linfomas.

História familiar de linfoma de Hodgkin

  • Principalmente quando ocorre em irmãos ou irmãs. É preciso deixar claro que mesmo aqueles com mais de um fator de risco têm probabilidade muito baixa de desenvolver a doença.