Pular para o conteúdo principal

Câncer de bexiga | Fatores de risco

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), estima-se que em cada ano do triênio 2020-2022, cerca de 10.640 novos casos de câncer de bexiga devam aparecer. O motivo para o surgimento dessa doença pode estar ligado a alguns hábitos, situações ou características genéticas dos pacientes, que predispõem o desenvolvimento do problema.

 

Fatores de risco para o câncer de bexiga

Fatores de risco que levam ao aparecimento do câncer de bexiga.

Fumo

As toxinas inaladas junto com a fumaça ou absorvidas pelo trato digestivo dos fumantes misturam-se com a urina após o processo de filtração renal. Dissolvidas na urina armazenada na bexiga, agridem as paredes internas do órgão causando alterações na estrutura da célula do urotélio, que podem levar ao câncer. Os fumantes têm risco quatro vezes maior de desenvolver câncer de bexiga do que nos não fumantes. Fumar charuto ou cachimbo também é considerado fator de risco.

Baixa ingestão de líquidos

Ingerir bastante líquido no decorrer do dia confere duas vantagens: maior diluição das substâncias tóxicas eventualmente presentes na urina; e aumento da frequência das micções. Ambos os fatores reduzem o tempo e a intensidade de contato dos agentes cancerígenos com a mucosa da bexiga.

Exposição à anilina e seus derivados

Correm mais risco aqueles que trabalham com borracha, couro, tintas e na indústria têxtil.

Exposição prévia à radioterapia

Pacientes que receberam tratamento radioterápico no qual a bexiga, por estar incluída no campo, ficou exposta à irradiação têm maior risco de desenvolver tumores malignos da bexiga. É o caso daqueles que foram tratados de câncer de próstata, reto e útero. Vale lembrar que, apesar do risco aumentado de desenvolver tumores de bexiga nesses casos, o risco ainda assim é baixo.

Exposição à ciclofosfamida

Esse medicamento costuma ser utilizado para tratar uma série de doenças: leucemias, linfomas, doenças reumáticas, autoimunes e outras. Quanto maior o tempo de uso dessa medicação, maior o risco de câncer de bexiga.

Fatores hereditários

Quando um parente de primeiro grau já foi acometido pela doença, o risco é um pouco mais alto.

 


Atualização: Dra. Ana Paula Garcia Cardoso – CRM: 116987
Oncologista Clínica no Hospital Israelita Albert Einstein
Apoio: Dr. Daniel Vargas Pivato de Almeida – CRM: DF 27574
Oncologista Clínica no Grupo Oncoclínicas, Brasília-DF

Selecione uma área para saber mais:

O que é

Saiba Mais

Prevenção

Saiba Mais

Sintomas

Saiba Mais

Diagnóstico

Saiba Mais

Tratamento

Saiba Mais

Recaída

Saiba Mais

Últimas notícias

Câncer

Os riscos dos tratamentos alternativos no combate ao câncer

Dra. Camila Fogassa É natural que, ao enfrentar o câncer, pacientes e familiares busquem todas as opções possíveis de tratamento. Entretanto, é importante discernir entre…
Destaque

Saiba mais sobre a primeira terapia celular aprovada para tumores sólidos

O FDA (Food and Drug Administration), agência federal dos Estados Unidos que regulamenta a segurança e a eficácia dos medicamentos, aprovou neste mês de fevereiro…
Destaque

Dra. Poliana Signorini, pesquisadora em Manaus, fala sobre a importância da pesquisa clínica no Norte do Brasil

A oncologista Poliana Albuquerque Signorini, pesquisadora do Centro Integrado de Pesquisa da Amazônia (CINPAM), participou do podcast “Saúde Assistida”, no qual falou sobre a importância…
Câncer
Câncer genético x câncer hereditário: entenda a diferença e a importância para a prevenção e diagnóstico precoce
Câncer
Fevereiro Laranja: mês da conscientização sobre as leucemias
Destaque
Epidemia de dengue e os cuidados com os pacientes oncológicos