Tira-dúvidas / Tira-dúvidas

Redação IVOC

Publicado em 19/11/2015

Revisado em 19/07/2019

Qual o risco de um segundo filho também ter rabdomiossarcoma?

Perdi minha filha única há 4 anos e meio por conta de um Rabdomiossarcoma embrionário CID 49-9. Eu e meu marido fomos informados na época que se tivéssemos mais filhos eles também poderiam ter a doença. Após o luto, estamos pensando em ter filhos, mas temos medo. Qual o risco? (Roselayne C)

Assim como na maioria das neoplasias na infância, o rabdomiossarcoma não tem uma causa ou fator predisponente totalmente conhecido. Alguns trabalhos sugerem relação maior entre a doença e pessoas que foram expostas a radiação intrauterina, mães que apresentaram crescimento uterino muito rápido ou fizeram uso de drogas ilícitas ocasionalmente durante a gestação, e até crianças que necessitaram receber antibiótico logo após o nascimento. Esses trabalhos não são conclusivos e serão necessários mais estudos para aprendermos mais sobre a doença.

A maioria dos pacientes caracteriza-se como casos esporádicos (que ocorrem isoladamente), mas existe associação entre o rabdomiossarcoma e algumas doenças que são síndromes familiares, como por exemplo a neurofibromatose, caso em que o risco de desenvolver esse tipo de câncer é 20 vezes maior que a população em geral. Existem também outras síndromes familiares mais raras que também podem ocasionar maior risco de desenvolver a doença, pois implicam em alterações genéticas.

É aconselhável uma consulta com um geneticista, que é um especialista em genética, antes de uma tomada de decisão tão importante.

Dra. Helena Sabino: Hematologista e hemoterapeuta do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo