Dia a Dia do Paciente / Efeitos Colaterais

Publicado em 03/09/2013

Revisado em 20/03/2017

Diarreia

A diarreia pode ser causada por alguns quimioterápicos, por radioterapia dirigida à pelve (câncer de próstata, útero, bexiga etc.), pela própria evolução do câncer e por infecções. De acordo com a intensidade, as diarreias podem ser divididas em quatro graus:

GRAU 1

Menos de quatro evacuações diarreicas em 24 horas.

GRAU 2

De quatro a seis evacuações diarreicas em 24 horas.

GRAU 3

Sete ou mais evacuações em 24 horas ou incontinência fecal ou necessidade de aplicar soro na veia para corrigir a desidratação.

GRAU 4

Forma grave com queda de pressão e necessidade de internação em unidade de terapia intensiva.

O tratamento é baseado no uso de alguns medicamentos e das seguintes medidas gerais:

  • Como a diarreia provoca perda abundante de água e sais minerais, faça como no caso dos vômitos: tome o máximo de líquido que conseguir, para evitar desidratação e a sensação de fraqueza por ela provocada. Dê preferência à água de coco (natural ou industrializada) e às sopas, porque contêm os sais minerais perdidos nas evacuações;
  • Faça pequenas refeições a cada duas a três horas;
  • NÃO coma frutas cruas, pão integral, verduras, frituras, alimentos gordurosos ou apimentados, pois agravam a diarreia;
  • NÃO tome suco de laranja, leite e derivados, bebidas com cafeína ou álcool, pois também agravam a diarreia;
  • Banana, arroz, torradas, biscoito água e sal, pêssego em calda, macarrão, batata cozida (sem casca), chás, caldo de carne, frango ou vegetais, aveia, gelatinas e suco de maçã são alimentos adequados.

Se sentir tonturas ou dores abdominais fortes, entre em contato com o serviço em que está sendo tratado. Em caso de diarreia persistente ou intensa, avise seu médico. No ciclo seguinte, as doses dos medicamentos oncológicos poderão ser reduzidas ou, ainda, medicamentos preventivos de diarreia utilizados.