noticias-testiculo / noticias-testiculo

Juliana Conte

Publicado em 04/04/2016

Revisado em 06/03/2017

Teste de gravidez pode indicar câncer de testículo?

Recentemente, em um canal de curiosidades das redes sociais, surgiu o post: “se o homem fizer um teste de gravidez caseiro, daqueles que utilizam a urina, e ele der positivo, o risco de câncer de testículo é grande”. Afinal, faz sentido essa informação?

De certa maneira, sim, mas com algumas considerações. Dr. Henrique Rodrigues, membro do Departamento de Uro-oncologia da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), explica que o câncer de testículo, como vários outros, possui marcadores tumorais sanguíneos. São substâncias cuja presença e quantidade são pistas de que pode existir um tumor, o que auxilia no diagnóstico e ajuda no planejamento terapêutico. Entre esses marcadores existe o beta-HCG, mesma substância que é produzida pelas células da placenta durante a gravidez. 

Veja também: Dr. Fernando Maluf fala sobre características do câncer de testículo

Como essa notícia já circula desde 2012 na internet, a Sociedade Americana de Câncer soltou na época um release que explica que apenas uma pequena minoria de homens com câncer de testículo terá níveis desse hormônios altos o suficiente para serem detectados por um teste de gravidez caseiro. Sendo assim, um paciente pode ter a doença mesmo se o resultado der negativo. Além disso, não é somente o câncer de testículo que aumenta o nível de beta-HCG.

Resumindo, o teste de gravidez feito com a urina de um homem pode dar positivo e ele não ter a doença. Pode também dar negativo e ele ter a doença. Ou seja: definitivamente, não é um bom método para definir se a doença existe ou não. Por isso, além dos marcadores tumorais , o diagnóstico desse tipo de câncer se dá pela palpação feita pelo próprio médico e pela ultrassonografia escrotal. “O exame de marcador tumoral, que é feito através da coleta de sangue ou urina, nós pedimos quando já sabemos que o paciente tem a enfermidade. Ele funciona como um indicador da gravidade da doença, e não para diagnosticá-la”.

Câncer testicular afeta os mais jovens

Lembrando que, apesar de o câncer de testículo ser um tipo de tumor que representa somente 1% do total de casos de câncer entre os homens, ele merece atenção porque costuma acometer os mais jovens, na faixa etária entre 20 e 40 anos de idade, quando geralmente o homem não está preocupado com esse tipo de enfermidade.

É uma doença agressiva com alto índice de multiplicação das células tumorais, por isso o diagnóstico deve ser rápido e eficiente. Sintomas como aumento indolor do volume do testículo (uma sensação de “peso”) e surgimento de nódulo duro, geralmente indolor, aproximadamente do tamanho de uma ervilha, merecem atenção e devem ser observados de perto por um urologista.