Tipos de câncer / Câncer de estômago



Câncer de estômago | O que é?

Depois do câncer de cólon e de reto, o câncer gástrico é o tumor do trato gastrintestinal mais frequente no Brasil. No entanto, sua incidência vem caindo nas últimas décadas, talvez pela melhora das condições de preparo e armazenamento dos alimentos. A incidência nos homens é 1,5 vez maior do que nas mulheres. A faixa etária mais atingida é a que vai dos 50 aos 70 anos de idade. Aproximadamente dois terços dos casos ocorrem acima dos 65 anos de idade.

ANATOMIA

Situado entre o esôfago e o duodeno, na parte superior da cavidade abdominal, o estômago se divide em cinco regiões:

  • Cárdia: porção superior mais próxima do esôfago, na qual está localizado um esfíncter muscular que impede o refluxo do conteúdo gástrico para o esôfago;
  • Fundo: porção situada logo após a cárdia;
  • Corpo: entre a cárdia e o antro, é a maior região do estômago;
  • Antro: porção mais baixa e mais próxima do duodeno;
  • Piloro: funciona como uma válvula que controla o esvaziamento gástrico, isto é, a passagem de alimentos e líquidos do estômago para o duodeno. A parede do estômago tem quatro camadas: a mais interna é a mucosa, seguida das camadas submucosa, muscular (camada longitudinal, circular e oblíqua) e, por último, a serosa, que reveste a parte externa do órgão .
Vencer o cancer.indb

Localização do estômago.

Vencer o cancer.indb

Anatomia do estômago com o órgão ampliado. Note as várias camadas da parede gástrica.

HISTÓRIA NATURAL DA DOENÇA

Os adenocarcinomas de estômago têm origem na camada mucosa. Habitualmente, nas fases iniciais não há sintomas; quando existem, podem ser confundidos com os das gastrites e das indisposições digestivas que melhoram com o uso de antiácidos e de bloqueadores da produção de ácido. Nessa fase silenciosa, o crescimento é lento; pode durar de um a três anos. Por essa razão, em países com alta incidência desse tipo de câncer, como o Japão, há programas preventivos de detecção precoce através da endoscopia.

Perdida a oportunidade do diagnóstico precoce, o crescimento se torna mais rápido, e o tumor pode formar úlceras na mucosa, penetrar as camadas mais profundas do estômago e atingir os linfonodos responsáveis pela drenagem linfática. Com o crescimento, pode haver invasão dos órgãos vizinhos por proximidade: esôfago, duodeno, pâncreas e baço.

Vencer o cancer.indb

Crescimento local do câncer de estômago. Note que o câncer, ao crescer, passa a invadir a mucosa e as camadas mais profundas da parede, atingindo os linfonodos ao redor do órgão e invadindo órgãos vizinhos, como esôfago, duodeno, pâncreas e baço.

Quando a doença se torna disseminada, há possibilidade de comprometimento de linfonodos torácicos e abdominais, fígado, peritônio, pulmões, ovário etc.

Crescimento à distância do câncer de estômago. Note que a doença pode comprometer linfonodos torácicos e abdominais, fígado, peritônio, pulmões e ovário.

Crescimento à distância do câncer de estômago. Note que a doença pode comprometer linfonodos torácicos e abdominais, fígado, peritônio, pulmões e ovário.

TIPOS DE CÂNCER DE ESTÔMAGO

Adenocarcinoma

Constitui mais de 90% dos tumores de estômago. Vale ressaltar que, quando se diz que alguém tem câncer de estômago, subentende-se que se trate de adenocarcinoma.

Tipos mais raros

Os demais 5% a 10% incluem os tumores neuroendócrinos, os tumores estromais do trato digestivo, também chamados de GIST (sigla do inglês), e os linfomas.