Pular para o conteúdo principal

Melanoma/Câncer de pele | Fatores de risco

Não melanoma

O fator de risco mais importante é a exposição à radiação ultravioleta (UV), presente nos raios solares e usada nas unidades de bronzeamento artificial (câmaras de bronzeamento). O risco de desenvolver câncer de pele é proporcional à exposição acumulada de raio UV; a genética e a cor da pele também influem, sendo mais afetadas as pessoas de pele clara e que não se bronzeiam com facilidade, que têm cabelos loiros ou ruivos e olhos claros.

Fatores de risco para câncer de pele não melanoma.

Fatores de risco para câncer de pele não melanoma.

Não podemos esquecer que os brasileiros apresentam ascendências diferentes devido à miscigenação; portanto o indivíduo, apesar de moreno, pode apresentar pele mais sensível aos raios ultravioleta.

Em geral, as pessoas desenvolvem câncer de pele após os 50 anos, mas esses tumores decorrem da exposição ao sol, que é cumulativa, sofrida quando elas eram mais jovens. Cerca de 80% da radiação ultravioleta que acumulamos durante a vida é absorvida do zero aos 20 anos de idade. Pessoas que vivem em áreas onde há sol mais forte têm maior risco de desenvolver câncer de pele.

Outros fatores de risco incluem:

  • Apresentar ceratose actínica, lesão de pele comum em pessoas que se expõem muito ao sol e que pode evoluir para carcinoma de células escamosas;
  • Ter uma doença de pele rara, como xeroderma pigmentoso, albinismo ou síndrome do nevo basocelular;
  • Tomar medicações que deprimem a imunidade (como as usadas por portadores de órgãos transplantados).

Melanoma

O melanoma se origina nos melanócitos. Raramente pode se iniciar em partes do corpo como retina, ânus e seios da face, lugares em que também existem melanócitos.

No melanoma de pele (melanoma cutâneo), o principal fator de risco é a exposição ao sol, especialmente quando ocorrem queimaduras solares importantes antes dos 15 anos de idade.

Pessoas de pele e/ou olhos claros e cabelos loiros ou ruivos têm mais tendência a sofrer queimaduras solares do que as de pele escura. Aqueles que têm múltiplas pintas com características irregulares (chamadas nevos atípicos) e história familiar de melanoma apresentam risco muito aumentado de desenvolver a doença. Para elas, recomenda-se fortemente o acompanhamento cuidadoso com dermatologista especializado.

Fatores de risco mais comuns para melanoma de pele.

Fatores de risco mais comuns para melanoma de pele.


Atualização: Dra. Veridiana Pires De Camargo – CRM: 113175
Oncologista Clínica da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo
Apoio: Dra. Jéssica Ribeiro Gomes – CRM: 159784
Oncologista Clínica da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo
Fevereiro 2022

Selecione uma área para saber mais:

O que é

Saiba Mais

Prevenção

Saiba Mais

Sintomas

Saiba Mais

Diagnóstico

Saiba Mais

Tratamento

Saiba Mais

Recaída

Saiba Mais

Últimas notícias sobre melanoma

Destaque

Saiba mais sobre a primeira terapia celular aprovada para tumores sólidos

O FDA (Food and Drug Administration), agência federal dos Estados Unidos que regulamenta a segurança e a eficácia dos medicamentos, aprovou neste mês de fevereiro…
Destaque

Pele a salvo – oncologista Antonio Buzaid fala sobre tratamentos para o câncer de pele, em reportagem da Veja Saúde

A matéria de capa da Revista Veja Saúde de dezembro traz informações sobre proteção, fatores de risco e tratamentos para os cânceres de pele, “o…
Câncer

Câncer de pele é o tema do sétimo livro do Instituto Vencer o Câncer

O Instituto Vencer o Câncer lança, no dia 12 de dezembro, o livro Vencer o Câncer de Pele e Melanoma.  A publicação, coordenada pelos oncologistas…
Notícias
Proteção contra o câncer de pele 
Melanoma e outros cânceres de pele
Prevenção e cuidados no câncer de pele melanoma – muito além da atenção na exposição ao sol
Notícias melanoma
Câncer de Pele – Seja amigo do sol e da sua pele. Se proteja.