Pular para o conteúdo principal
Compartilhe:

Última atualização em 05/02/2024

Dia Mundial do Câncer, celebrado em 4 de fevereiro, destaca a urgência de abordar uma doença que, na próxima década, poderá afetar diretamente 25 milhões de pessoas anualmente em todo o mundo, segundo estimativas.

Esta data serve para lembrarmos o quão urgentes tornam-se as ações de conscientização, prevenção, pesquisa e tratamento do câncer, visando combater essa crescente incidência e ajudar a salvar vidas. 

Através da sensibilização e educação, o Dia Mundial do Câncer precisa encorajar a adoção de estilos de vida saudáveis, especialmente a atividade física e melhor acesso aos cuidados de saúde para todos.

 

O papel do exercício físico

O exercício regular é uma intervenção poderosa e acessível na prevenção e no tratamento do câncer e, aliado a hábitos de vida saudáveis, pode ser um fator crucial na prevenção dos tumores e na promoção do bem-estar geral.

Ao incorporar o exercício físico regular nas estratégias de prevenção do câncer, nos protocolos de tratamento e nos planos de cuidados para sobreviventes, os profissionais de saúde podem otimizar os resultados dos pacientes. 

A prática de exercícios contribui significativamente para a melhoria da qualidade de vida e permite que os indivíduos desempenhem um papel ativo em seu próprio bem-estar durante a jornada contra o câncer.

A atividade física ajuda não apenas a reduzir o risco de desenvolvimento de alguns tipos de câncer, mas também pode auxiliar na recuperação e na redução de efeitos colaterais durante o tratamento, como fadiga e depressão. 

Além disso, para os sobreviventes de câncer, manter um estilo de vida ativo é um dos pilares importantes para prevenir a recorrência da doença e promover uma saúde geral, desempenho físico e bem-estar. 

Hoje diversos estudos epidemiológicos têm demonstrado uma correlação significativa entre a atividade física regular e um risco reduzido de desenvolver vários tipos de câncer. Por exemplo, pesquisas indicam que exercícios regulares podem diminuir o risco de câncer de mama, cólon, endométrio, pulmão e próstata

Esses estudos observacionais mostram que indivíduos mais ativos fisicamente têm uma probabilidade menor de desenvolver esses tumores, em comparação com aqueles que são menos ativos. Os estudos também mostram que exercício influencia a prevenção do câncer por meio de vários mecanismos fisiológicos:

– Função imunológica: o exercício pode melhorar a vigilância imunológica e a capacidade do corpo de detectar e combater células cancerígenas;

– Equilíbrio hormonal: A atividade física pode ajudar a regular os níveis de hormônios, como estrogênio e insulina, que, quando desequilibrados, podem aumentar o risco de certos tipos de câncer;

– Reduzir a inflamação: o exercício regular pode reduzir a inflamação crônica no corpo, que está associada ao desenvolvimento e progressão do câncer;

– Reparo do DNA: há evidências de que a atividade física pode aumentar a eficiência dos processos de reparo do DNA, ajudando a prevenir mutações que podem levar ao câncer.

Em resumo, a atividade física regular pode desempenhar um papel importantíssimo na redução do risco de câncer, atuando em diferentes frentes biológicas para proteger o corpo contra o desenvolvimento dessa doença.

Exercício pode auxiliar durante os tratamentos oncológicos

O exercício pode melhorar a tolerância ao tratamento. Diversas pesquisas indicam que a atividade física regular pode ajudar a reduzir alguns dos efeitos colaterais comuns associados ao tratamento do câncer, como fadiga, náusea e comprometimento cognitivo. 

A prática de exercícios ajuda a manter ou melhorar a força e a resistência física, contribuindo para uma melhor tolerância aos efeitos secundários dos tratamentos oncológicos. 

Além disso, o exercício físico regular pode ter efeitos positivos sobre a saúde mental, reduzindo sintomas de depressão e ansiedade, que são frequentemente experimentados por pacientes com câncer, tendo benefícios em todas as fases das terapias, pós-tratamento e para aqueles que continuam tratando cronicamente o câncer. 

Há evidências de que os pacientes que se mantêm fisicamente ativos durante o tratamento tendem a ter uma melhor resposta às terapias antineoplásicas, incluindo uma maior eficácia de certos tratamentos, como a quimioterapia e a radioterapia. 

O exercício pode ter um impacto positivo na percepção que o paciente tem de sua própria saúde e bem-estar, contribuindo para uma melhor qualidade de vida. Além desses benefícios físicos, os exercícios também podem ter efeitos psicológicos positivos, como a redução da ansiedade e da depressão, que são comuns em pacientes com câncer. 

Outro papel importante que a atividade física pode desempenhar é na redução do risco de recorrência do câncer. Isso pode ser atribuído a vários fatores, incluindo o impacto do exercício na regulação hormonal, na função imunológica e no controle do peso corporal. Manter um peso saudável é especialmente importante, pois a obesidade é um fator de risco conhecido para o desenvolvimento e a recorrência de certos tipos de tumores.

Em resumo, a inclusão do exercício como parte integrante do plano de tratamento do câncer pode oferecer benefícios significativos, tanto na tolerância ao tratamento quanto na melhoria dos resultados gerais do tratamento. É importante que os planos de exercícios sejam adaptados individualmente, levando em consideração o tipo e o estágio do câncer, os tratamentos recebidos e as condições físicas gerais do paciente. 

E claro, os programas de exercícios devem ser desenvolvidos e monitorados por profissionais especializados, como fisioterapeutas ou educadores físicos, que entendam as necessidades específicas de cada pessoa.

Tania Tonezzer

Mestre em Ciências da reabilitação – FMUSP

Fisioterapeuta Especialista em Oncologia e Linfoterapia (Crefito128763-F)

Integrante do Comitê Científico do Instituto Vencer o Câncer

 

Referências:

https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/3700/2644

Hojman P, Gehl J, Christensen JF, Pedersen BK. Molecular Mechanisms Linking Exercise to Cancer Prevention and Treatment. Cell Metab. 2018 Jan 9;27(1):10-21. doi: 10.1016/j.cmet.2017.09.015. Epub 2017 Oct 19. PMID: 29056514.

 Wang Q, Zhou W. Roles and molecular mechanisms of physical exercise in cancer prevention and treatment. J Sport Health Sci. 2021 Mar;10(2):201-210. doi: 10.1016/j.jshs.2020.07.008. Epub 2020 Jul 30. PMID: 32738520; PMCID: PMC7987556.

 Said, Ayman & Raza, Falsk. (2023). The Role of Exercise in Cancer Prevention and Management.

https://factor.niehs.nih.gov/2024/1/feature/3-feature-breast-cancer-physical-activity

https://ascopost.com/issues/january-25-2024/patients-with-advanced-breast-cancer-may-gain-multiple-benefits-from-exercise-as-part-of-palliative-care/

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31919405/

https://ascopost.com/news/january-2024/leisure-time-physical-activity-and-breast-cancer-risk-in-premenopausal-women/

Compartilhe:

Categorias: CâncerCâncer de próstataDestaqueNotíciasNotícias câncer de mama